História de uma família de imigrantes alemães

História da família Dressbach (Dresbach, Tresbach e Trespach)

“Terra de meus pais, há muito que não és a minha, nenhum solo é tão sagrado quanto o teu. Jamais a tua imagem desaparecerá da minha alma. E mesmo que nenhum elo vivo me ligue a ti,os mortos, que a tua terra cobre, o faria, minha pátria.” (Konrad Krez, 1828-1897).

Histórico da família na Alemanha
A família Dreßbach (ou suas variantes no Brasil Dressbach, Dresbach, Tresbach e Trespach) é originária do antigo Condado de Ysenburg-Wächtersbach, no hoje distrito de Main-Kinzig-Kreis, no Hessen. O mais antigo ancestral da família chamava-se Anton (Antônio). Ele nasceu por volta de 1671 e faleceu em 1764 em Neuenschmidten, pequena aldeia na comunidade do Brachttal – atual denominação da região. Anton era servo do Conde Ferdinand Maximilian II. Anton Dreßbach casou com Maria Brill (1686-1760) em 1713.

Evangelische Martins-Kirchengemeinde Brachttal-Hellstein. Foto: Klaus von Berg.

1714

Registro de casamento de Anton Dressbach e Maria Bril, em 26 de outubro de 1713.

Eisenhammer
O Jagdschloss (Castelo de Caça) dos Príncipes de Ysenburg
e o Eisenhammer (a forja), em Neuenschmidten, local de trabalho

de Anton Dressbach (1671-1764). Foto: Gudrun Kauck.

foto-graf-ferd-maximilian-ii

O Conde Ferdinand Maximiliam II para quem
Anton Dressbach (1671-1764) trabalhou como “Reitknecht”
(serviçal de cavalaria ou estribeiro) até pelo menos 1739.

A família depois migrou para a região de Gründau, comunidade mais próxima de Frankfurt do Meno – cerca de 40 Km. Em Gründau, principalmente em Lieblos, a família criou raízes e é onde está mais concentrada na Alemanha.

A Bergkirche, Igreja Evangélica de Niedergründau

A Bergkirche, Igreja Evangélica de Niedergründau. Fotos: Klaus von Berg.

budinger-strase-30-etwa-1930

Propriedade da família Dressbach na Büdinger Str.30, em Lieblos.
Foto: acervo Klaus von Berg.

Um ramo da família migrou para a região de Büdingen, mas especificamente para Calbach. Desse ramo descendem todos os Dressbach do Brasil – com exceção do ramo de Herbert Dresbach que emigrou para o Brasil em 1938.

Calbach bei Büdingen, aldeia natal do imigrante
Friedrich Dressbach (1778-1850). Fotos: Klaus von Berg.

A família no Brasil
“Chegou o tempo e chegou a hora: Para a América vamos embora! Os carros estão à porta, com mulher e crianças partimos. Amigos e parentes, irmãos, queridos entes, adeus, adeus, daí-nos a mão. Partimos para um outro chão! Não chorem tanto à despedida, não mais nos veremos nesta vida!” (Canção dos imigrantes alemães)

Em 09 de março de 1825, em São Leopoldo o primeiro integrante da família Dressbach desembarca, com a família, no Porto das Telhas em São Leopoldo. Após um mês de viagem até o norte do país. Saíram do porto de Hamburgo no navio Kranich em novembro de 1824 e chegaram ao Rio de Janeiro em 15 de janeiro de 1825. Do Rio de Janeiro foram enviados ao Rio Grande do Sul no navio Penha.
O nome do imigrante: Friedrich Dressbach (1778-1850). A esposa: Anna C. Kämpf (1793-1845). Os filhos: Johannes, Jacobina, Caroline, Dorothea e Luise.

Feitoria Velha, SL

Feitoria Velha, São Leopoldo/RS.
Foto: Danilo Klippel.

A família que hoje é dividida em 4 ramos (Dressbach, Dresbach, Tresbach e Trespach) tem sua origem comum nesse imigrante alemão. Friedrich residiu em São Leopoldo até o inicio da Revolução Farroupilha mudando-se então para Três Forquilhas (hoje Itati).

Todos os Dressbach, Dresbach, Tresbach e Trespach do sul do Brasil hoje descendem de seus 3 filhos homens: Johann Heinrich Caspar (1800-1843) e Johannes (1811-1880), nascidos na Alemanha e filhos da primeira esposa – Gertraud Nazarenus (1779-1817); e Alexandre Frederico (1833-1902), nascido já no Brasil e filho da segunda esposa.


Família de Alfredo Trespach (1901-1945), bisneto do
imigrante Johann Caspar Dressbach (1800-1843).
Foto: Arquivo pessoal Rodrigo Trespach.

Caspar deixou descendentes na região de Três Forquilhas (Itati) que depois se espalharam pela região (Maquiné, Osório, Terra de Areia e outras). Johannes residiu e deixou descendentes em Campo Bom e Sapiranga. Alexandre Frederico fixou residência em Campo Bom e deixou descendentes em Lagoa Vermelha, Vacaria e cidades vizinhas.

Vale do Três Forquilhas

O Vale do rio Três Forquilhas para onde a família Dressbach
se dirigiu em 1836. Aqui a família teve alterada sua grafia para
Tresbach e depois Trespach. Foto: Tiago L. Trespach.

Informações extraídas de forma reduzida de:
TRESPACH, Rodrigo. Passageiros no Kranich – História e genealogia da família Dreßbach (Dresbach, Dressbach, Tresbach e Trespach). Porto Alegre: Editora Alcance, 2007.