A invenção das raças

Existem mesmo raças humanas?  Geneticista italiano desconstrói ideia de que a cor da pele, traços físicos, cor de olhos, formato da cabeça ou local de origem configurariam diferenças raciais.

Um dos conceitos mais arraigados do ser humano é o de que existe “raça humana”. Em A invenção das raças (Contexto, 2007), o geneticista italiano Guido Barbujani, professor de genética da Universidade de Ferrara, Itália, desconstrói esse mito. 

Há apenas uma raça humana e nossa espécie – o Homo sapiens – não é um mosaico de grupos biologicamente distintos. Nossas diferenciações, como a cor da pele e dos olhos, o formato da cabeça ou nosso local de origem não configuram diferenças raciais; elas têm um significado mais ideológico do que científico.

Com rigor acadêmico, mas com linguagem acessível ao púbico leigo, Barbujani contextualiza a definição de raça ao longo da história e os mitos fundadores que reforçam a falsa noção de que o homem seriam dividido por grupos raciais.

O geneticista também aborda os resultados do projeto Genoma Humano e suas implicações na sociedade moderna. Em um mundo marcado pelo preconceito, A invenção das raças é uma importante leitura.

Por Rodrigo Trespach

Compre o livro ou saiba mais sobre a obra no site da Editora Contexto.