O homem que derrotou Napoleão

Almirante Nelson, o homem que derrotou Napoleão

Armando Vidigal narra a história do Almirante Nelson, o homem que derrotou Napoleão nos mares e garantiu a vitória inglesa em uma das maiores batalhas navais da história.

Na doca número 2 do porto de Portsmouth se encontra ancorado um dos maiores símbolos do poderio do Império Britânico: o HMS Victory. O que o Portsmouth Hitoric Dockyard guarda é o navio original, a nau capitania, do Almirante Horatio Nelson, durante a Batalha de Trafalgar, ocorrida em 21 de outubro de 1805, a batalha que expulsou Napoleão dos mares.

É a história de vida de Nelson até sua derradeira batalha que o almirante brasileiro Armando Vidigal narra em Almirante Nelson, o homem que derrotou Napoleão (Contexto, 2011). Graduado pela Escola Naval e membro do Instituto de Geografia e História Militar, do Núcleo de Estudos Estratégicos da Unicamp, do Instituto Brasileiro de Estudos Estratégicos e do Centro de Estudos de Política e Estratégia da Escola de Guerra Naval, Vidigal morreu em 2009, pouco depois de concluir o livro sobre o grande almirante inglês.

Horatio Nelson foi para a marinha o que Wellington foi para o exército inglês; Trafalgar foi no mar, o que Waterloo foi em terra: a derrota de um inimigo comum, Napoleão Bonaparte.

Em Trafalgar os ingleses perderam quase 1.700 homens, mas o plano audacioso de Nelson, que acabou por lhe dar a vitória, mas também a morte, custou à frota combinada franco-espanhola mais de 5.800 homens e 20 mil prisioneiros, sem contar com a destruição total da armada com que Napoleão almejava invadir a Inglaterra.

O Almirante Nelson não sobreviveu para conhecer a extensão de sua grande vitória, que representou a ruptura total do enfrentamento clássico de marinhas beligerantes, em que as duas forças antagônicas navegavam e combatiam em rumos paralelos – Trafalgar foi decidida porque Nelson cruzou e cortou ao meio a linha franco-espanhola com duas colunas de navios ingleses. Atingido no convés do Victory por um tiro vindo do navio francês Redoutble, Nelson morreu três horas depois.

As guerras napoleônicas ainda iriam durar dez anos, mas não no mar. Com a grande armada de Napoleão derrotada na costa espanhola, só restaram ao imperador francês as vitórias em terra; até que uma Trafalgar terrestre ocorresse em junho de 1815.

Em Almirante Nelson, o homem que derrotou Napoleão Vidigal vai além do militar, que perdeu o olho e o braço direito em combate (em 1794 na Córsega e em 1797 em Tenerife, sucessivamente), mas também sua relação com a  filha Horatia Nelson, a esposa Frances “Fanny” Nisbet e seu grande amor e amante lady Emma Hamilton, esposa de Sir William Hamilton.

Lady Hamilton, uma bela e temperamental jovem 33 anos mais nova que o marido, teve grande influência nas ações de Nelson. A última carta do almirante foi dedicada à Emma. Escrita dois dias antes da Batalha de Trafalgar, foi encontrada sobre sua mesa no Victory, aberta e não assinada. À pedido de Nelson, seu cabelo cortado foi enviado à amada.

Por Rodrigo Trespach

Compre o livro ou saiba mais sobre a obra no site da Editora Contexto.

Curta e compartilhe com amigos e interessados. Obrigado!